Só as mães são felizes!

"O amor é intenso,único!Livre de cobranças, cheio de entregas!"

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Lembra do futuro brilhante??Esse é o primeiro passo!!

Postado por LUA às 19:19
Reações: 
6 comentários Links para esta postagem
Formandos-Faculdade de Direito de Campos 2010.1


quarta-feira, 28 de julho de 2010

"Ahhh!Mas vc TINHA um futuro brilhante..."

Postado por LUA às 00:08
Reações: 
10 comentários Links para esta postagem
É incrível como engravidar antes do casamento ainda assusta as pessoas, em pleno século XXI.
Juro que eu pensei que fosse uma coisa da minha familia, da minha cidade pequena, mas perambulando pelo blogs alheios eu percebi que não, e que ainda existe no mundo gente que se liga não só no casamento, mas no dinheiro, na idade...
Não estou dizendo que é legal que a coisa seja sem planejamento, e que acho que deve ser como foi comigo,até acho bem legal quem se programa para casar,ter um filho, mas se aconteceu: paciência!!!Encaremos o descuido como uma benção que o filho é!Acho sinceramente um absurdo aqueles que viram as costas pra menina gravida, e aí me junto a Amanda, quando ela diz que  pode contar nos dedos de uma mão aqueles que me deram um parabens sinceros quando abri ao mundo a situação, e durante muito tempo o que eu via era o olhar e ouvia frases do tipo"nossa, mas vc TINHA um futuro brilhante"; "nossaaa, que burrice", enfim, dentre uma infinidades de outras coisas, que na época acabavam comigo, me deixavam no chão, e perdi as contas de quantas vezes no inicio da gravidez fui dormir escondendo minha cara no travesseiro de tanto chorar,porque eu acreditava naquilo!!Como se a vida tivesse acabado ali.Não!A vida não acabava ali.E pelo contrário!!
 Minha vida começou ali.
O nascimento de Malá me fez renascer!Fez nascer a esposa, a mãe,a mulher!Me fez ver o mundo de uma maneira muito diferente e me trazer a realidade do mundo lá fora, uma realidade que vai muito além de noitadas,"chopadas e topadas" da vida.
E quanto ao futuro...ah!!!!eu não TINHAAA um futuro eu TENHO um futuro brilhante, apenas com um presente um pouco mais tumultuado, mas que sem dúvidas, vai fazer tudo valer muito mais a pena!!!

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Brincando com a Mamae!!

Postado por LUA às 17:14
Reações: 
3 comentários Links para esta postagem
Numa noite de sexta vagando pelos blogs encontrei no blog da Andréia (que é um dos mais divertidos e já disse isso a ela!!!rsrsrs-Adoro!!) um monte de Ogrinho!!!!rsrsrs, e mostrei pra Malá, que ficou doida!!Fomos no site do MC e fizemos as nossas também!!!Nem ia postar, mas como a Andreia esboçou curiosidade, aí estão:

Por questão de direito de imagem achei melhor guardar o Papai-Shrek para uma outra oportunidade!!!rsrsrsrs
bj meninas!

sábado, 24 de julho de 2010

Ás vezes...Eu queria ser uma mãe francesa!

Postado por LUA às 01:38
Reações: 
3 comentários Links para esta postagem

Aiiii, as vezes eu queria ser uma mãe francesa!!rsrsrs
Me culpo tanto por as vezes ser muito mais mãe do que esposa...de deixar tanto a desejar,por ser tão diferente da namorada carinhosa e atenciosa que fui...A vida é tão corrida quando se tem filho, marido, casa,emprego, que as vezes a gente acaba sendo mais um que outro e quando vê tá deixando um pouco de ser a esposa que sonhou ser...
Achei o texto no blog da Carol e que ela leu no site da revista Pais e Filhos, e juro, que fiquei com uma pontinha de inveja das mães francesas!!!

Lições francesas

MÃES FRANCESAS NÃO VIVEM EM FUNÇÃO DOS FILHOS E CONSEGUEM MANTER SUA VIDA AMOROSA APÓS A MATERNIDADE. SIM, ELAS SABEM VIVER BEM
POR DEBRA OLLIVIER / TRADUÇÃO DE MARIANA SETUBAL, FILHA DE CIDINHA E PAULO

Há 16 anos conheci um francês em Los Angeles e acabei indo com ele para sua terrinha, onde me casei, tive dois filhos, ganhei dupla nacionalidade e imergi na cultura local.
Ser mãe na França tinha seus desafios. Quando nosso primeiro filho, Max, tinha apenas 3 anos, nós o matriculamos numa escola bilíngue. Seis meses depois, sua classe foi convidada para uma viagem à Inglaterra, o que era um evento anual. Quando me recusei a deixar Max participar, a diretora me disse: “Madame, segurar seu filho não é bom para seu espírito de independência. Você precisa deixá-lo ir para que ele possa aventurar-se pelo mundo”. E continuou: “Nós só temos esse problema com mães americanas”.
E lá foram as crianças: as francesas para a Inglaterra; as americanas, para casa com suas mamães. As mães francesas curtiram três dias adoráveis sozinhas com seus maridos em Paris. Elas beberam vinho e namoraram bastante antes de os pequenos voltarem. Enquanto isso, as mães americanas iam para o parque, sentavam no chão, se divertiam e voltavam para casa exaustas.
Quando me mudei para Paris, fiquei admirada com as francesas: como elas conseguiam empurrar um carrinho andando de salto alto sobre paralelepípedos? Como sua libido funcionava com todas as demandas da maternidade? Como elas conseguiam e eu não?
Depois de ficar grávida do Max, fui para os Estados Unidos e voltei carregada de livros de ajuda a mães de primeira viagem, brinquedos educativos e um monte de ideias bem intencionadas sobre como resguardar o filho de qualquer contratempo que ele possa ter na vida. Assim, quando nosso bebê começou a engatinhar, protegi o apartamento inteiro com protetores de quina, cadeados nas gavetas e protetores nas tomadas.
A sala estava amontoada com brinquedos gigantes e fluorescentes. Minha vizinha francesa deu uma espiada e disse: “Seu apartamento parece um hospício”.
A casa dela era diferente. Seus filhos, de 5 e 7 anos, tinham regras e limites, e a única proteção com que ela se preocupou foi uma grade na escada. A sala era um lugar da família, espaço que as crianças aprenderam a respeitar.
Na casa dela, as crianças estavam na cama antes das 20h, de forma que a mamãe e o papai podiam ficar juntos. Esse tempo de privacidade é sagrado. E os dois não fingem que vão para a cama ler um livro: “Uma noite, quando eu estava colocando minha filha de 7 anos na cama, ela perguntou: ‘Você e o papai estão indo para o quarto se beijar?’. E eu respondi: ‘Claro. Mães e pais se beijam à noite, porque eles se amam'. 'Boa noite’”, disse ela.
NA FRANÇA, A MAIORIA DAS CRIANÇAS TEM DE SE ADAPTAR AO MUNDO ADULTO, NÃO O CONTRÁRIO. LIMITES SÃO ADOTADOS NÃO APENAS PORQUE SÃO CONSIDERADOS BONS PARA AS CRIANÇAS, MAS PORQUE ELES PROTEGEM A SAGRADA PRIVACIDADE DO CASAL. APRENDI QUE OS FRANCESES SÃO EXPERTS EM MANTER O AMOR VIVO DEPOIS DOS FILHOS.
Comecei a entender que, enquanto as mães francesas impõem limites severos aos filhos, elas também procuram deixar o caminho livre, dando um passo para trás para que eles possam se “aventurar pelo mundo”, como tinha me dito a diretora da escola.
Aos poucos, comecei a me tornar uma mãe à francesa. Quando minha filha nasceu, o nosso estoque de utensílios de proteção de bebês já estava empoeirado no porão. E quando, três anos depois, a mesma diretora me perguntou sobre a viagem anual à Inglaterra, eu sorri e disse “Oui”.

Reportagen e texto: http://www.revistapaisefilhos.com.br/pai-amor - Portal Terra

sábado, 17 de julho de 2010

Morar com Papai do Céu.

Postado por LUA às 22:55
Reações: 
4 comentários Links para esta postagem
-"Mamãe, a "bisa-na-barata" foi morar com papai do Céu?"
Como é difícil essa hora!Foi uma perda difícil pra mim(bem mais que eu esperava).E quando me deparei com a pergunta de Malá hoje...aff!!! Difícil hora a de explicar para um bebê cheio de vida, o que é a morte.
Aconteceu na terça feira, e só falei com ela sobre isso hoje, pq ela veio me perguntar, pois do contrario ia deixar rolar..até porque não era uma convivência diária, e ela não ia sentir falta agora.
Mas parece que a avó ou avô, não sei ao certo, falou para ela...
Aí, diante da pergunta...eu respondi a mesma coisa de forma afirmativa:"A "bisa-na-barata"(ela aprendeu a chamar a bisa assim porque quando começou a falar confundia bisa com pisa!!!) foi morar com Papai do Céu."- e ela esboçou um chorinho, mas contornei distraindo com outra coisa, e prefiri não me aprofundar no assunto.
Mas só comigo fiquei a pensar...:"É filha, ela se foi, em tempo de te ver, de te curtir, de se orgulhar de você, do jeito dela, trancadão, tenho certeza que sempre vibrou por nós, por nossa vitória, por nossas conquistas..."-as lágrimas foram inevitáveis...

domingo, 4 de julho de 2010

Pra tranquilizar.

Postado por LUA às 20:19
Reações: 
1 comentários Links para esta postagem
Aqui em casa tudo sob controle, soubemos contornar!Andei conversando com psicóloga e tudo!!(tudo bem que me mesa de bar, mas foi quase uma consulta!!!).
Agora vou curtir preguiça com Malá. bj gente!

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Onde começa minha autoridade e termina a dele.

Postado por LUA às 14:53
Reações: 
3 comentários Links para esta postagem
Ai meninas!!Hoje aconteceu uma coisa muito(muito) chata e eu, sinceramente não sei como desfazer.
Meu marido, que por acaso é pai de Malá!rsrsr!Hoje estava brigando com ela, se descontrolou e deu umas boas palmadas, eu assistindo aquilo, me enfureci!!!Arranquei ela dos braços dele e gritei com ele, tirando toda sua autoridade.Aff!!!Eu juro que eu tentei não fazer, desde que ele começou falando com ela, saí de perto, mas quando voltei e vi a cena..ah!!!!gente!!!Eu parecia uma leoa!E não pensei, que naquele momento eu tinha que ter contido o meu instinto, pq afinal ele é pai!Eu tinha que ter me segurado!Eu não podia ter tirado autoridade dele!Ah!!!!Mas não me aguentei!Eu que fico muito mais com ela, não faço isso!Tenho que admitir que ando na corda bamba e ainda não encontrei o melhor jeito de mostrar autoridade, pois com meu coração mole ela sempre acaba levando o que quer.Admito também que grito muito, o que acaba tirando toda minha autoridade, já que ela sabe que são só ameaças e que não vai passar daquilo ali.Mas daí a bater, ah!Não!Ela só tem 2 anos!Ela ainda não tem discernimento para entender o que se passa, que aquilo é uma punição mas que ele a ama..Sem contar que quando eu cheguei os olhinhos dela pareciam me perguntar "pq vc não me tira daqui?" e aí..já sabe! Meu coração mole falou mais alto.Não era uma surra.Mas eram palmadas que achei um exagero por se tratar de uma criança de dois anos...
Conclusão: Minutos depois, após soluçar muito no meu colo,ela ficou de mil amores com ele, e eu não sei o que fazer pra fazer ele voltar a falar comigo!Aff!Tenho que dar um jeito de reverter a situação e acho melhor começar assumindo o erro...apesar de ter certeza que persistirei no erro se acontecer de novo..,aff!!!

Twitter

Followers

 

Só as mães são felizes! Copyright © 2010 Designed by Ipietoon Blogger Template Sponsored by Online Shop Vector by Artshare